Sexta-feira, 15 de maio de 2020

Mensagens diárias
MENSAGEM DIÁRIA DE SÃO JOSÉ, TRANSMITIDA NO CENTRO MARIANO DE FIGUEIRA, MINAS GERAIS, BRASIL, À VIDENTE IRMÃ LUCÍA DE JESÚS

Uma alma que trilhava seu caminho de entrega a Deus, um dia, vivendo um profundo momento de definição interior, tentada pelas forças do mundo, pensava em abandonar tudo e lançar-se aos prazeres e ilusões da vida. Essa alma era tentada a pensar e sentir que sua entrega não tinha sentido, não fazia diferença para a evolução da vida, e que, apesar de tantos esforços, ela não saía do lugar; então, melhor seria deixar esse caminho e lançar-se no mundo.

Ao planejar interiormente o abandono de seu caminho espiritual, sentia que não podia fazê-lo e que algo a prendia a Deus. Com uma mistura de temor e indignação, começou então a questionar o Senhor dizendo: – “Diz-me, Senhor, porque me prendes ao Teu Coração? Que diferença faço eu para Ti se sou sempre a mesma alma invisível e imperfeita, na infinidade de Tua Criação? Por que não permites, Deus, que eu abandone este caminho e que, entregue ao mundo, aprenda a encontrar-Te por outras vias que não seja esta?”

E com um sorriso no Rosto, demonstrando Sua celestial compaixão, o Senhor respondeu-lhe: – “Acaso pode um órgão decidir por si mesmo viver fora do corpo e sair? Por mais que queira ser independente dentro desse corpo e crie enfermidades e desequilíbrios, esse órgão não pode sair por si mesmo. E se um dia, depois de tantas doenças, ele fosse retirado desse corpo, acreditas, alma pequena, que ele sobreviveria sozinho?

Assim são as almas que se comprometeram Comigo. Todas as almas que Eu criei são células de Meu Corpo Místico e infinito, mas aquelas que se comprometeram Comigo são órgãos dentro de Mim, que têm um papel fundamental na evolução da vida e, ainda que não percebam, são parte de uma Obra infinita que não começa nem termina neste mundo. Sendo assim, alma amada, não sou Eu quem te prende ao Meu Coração e não te permite seguir outros caminhos, é tua própria vida e tua condição de união Comigo que te faz sentir que, apesar de todas as tentações, não podes fazê-lo.

Mas este momento não é para ti a expressão de teu mais puro pensamento. Estás transitando um momento de cegueira e ignorância, em que nuvens encobrem teu rosto e teu coração, e não podes ver nem sentir a verdade. Para que essa verdade te seja revelada, não te afastes de Meu Amor e não deixes de clamar por Minha Misericórdia. Ainda que estejas no deserto, Eu te darei forças para persistir. E, mesmo na sequidão interior, sentirás Minha Fonte que, no profundo do profundo, volta a brotar em ti. Em um tempo de confusão, não deixes de buscar-Me e Eu te darei a paz.”

Que nesse diálogo com Deus, filhos, as almas que estão hoje cegas encontrem forças para buscar a luz e clamar por Misericórdia. 

Têm a Minha bênção para isso.

São José Castíssimo