Terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Mensagens diárias
MENSAGEM DIÁRIA DE SÃO JOSÉ, TRANSMITIDA NO ÔNIBUS ÁGUIA DE LUZ, DURANTE A VIAGEM DO CENTRO MARIANO DE AURORA ATÉ CÓRDOBA, ARGENTINA, À VIDENTE IRMàLUCÍA DE JESÚS​​

Se há algo que deve ser dissipado imediatamente do coração humano é o medo. O medo é a ausência de Deus, do amor, da fé. O medo nasce e cresce no coração daqueles que se acomodaram na condição humana e que ainda não reconheceram que o que deve ser cuidado com esmero é apenas a essência mais profunda do ser, os Princípios Divinos que ali se encontram. Aquele que sente medo o sente por não confiar no amor.

Com suas ações, vocês devem fortalecer os princípios da fé, a certeza de que o amor algum dia falará mais alto na consciência humana, porque será tanta a necessidade de paz e de unidade que todos se unirão com todos, na busca por um Único Deus.

O medo com o qual vivem os povos originários é o medo de perder sua cultura, perder o seu espaço na Terra. Por não terem o básico de que necessitam para viver, eles sentem medo de desaparecer como povo, assim como desapareceram tantos outros.

Na missão que acontece no Chaco, assim como em todas as missões que ainda acontecerão com estes seus irmãos indígenas, vocês devem fortalecer a fraternidade, deixá-los sentir que vocês compreendem ou que buscam compreender o papel espiritual dos povos originários na Terra, porque – mais do que suprimentos e cuidados básicos – vocês encontrarão, em seus irmãos, a necessidade de serem reconhecidos com sua cultura e sabedoria, como parte desta civilização humana.

No profundo desses corações, mais do que a fome ou a miséria, pesam o abandono e a indiferença por parte da maioria dos seres humanos. É por isso que estamos dedicando estas mensagens não somente para instruir os missionários, mas também para despertar espiritualmente a humanidade e, sobretudo, neste caso, a Argentina, para o conhecimento do papel da consciência indígena, já que o seu equilíbrio depende da pureza, da simplicidade e da sabedoria que os povos originários mantêm em seu interior.

Vocês devem prestar cada pequeno ou grande serviço sempre levando em consideração muito mais o propósito espiritual do que o ato físico. Porque fisicamente vocês encontrarão necessidades infinitas, materiais, sociais, morais, carências de coisas básicas para a sobrevivência e, para suprir todas elas, seria necessário um esforço muito maior do que alguns poucos dias.

E muitos podem se perguntar: qual é a razão de fazermos missões tão rápidas, nas quais não se supre nem um mínimo da grande necessidade desses povos?

E Eu lhes respondo que Aqueles que alcançam ver com os seus olhos o que acontece no espírito, e não somente na matéria, sabem que as necessidades espirituais se movem com base em outras leis e, às vezes, uma situação que espiritualmente é muito mais grave do que uma grande carência material se resolve com um pequeno ato de amor verdadeiro.

É por isso que, sim, lhes pediremos que levem recursos materiais, mas o que verdadeiramente dá sentido a uma missão é a vivência do amor, a capacidade de abrir as portas para que Deus desça e atue por intermédio de suas mãos.

Busquem ser verdadeiros e não queiram ser heróis. Sejam apenas simples de coração, abram-se para aprender, deixem-se curar da própria indiferença humana, do orgulho e do egoísmo. É assim que vocês poderão se chamar de missionários, missionários do espírito, missionários que servem para cumprir a Vontade de Deus.

Eu os amo e, por isso, lhes ensino a servir.

Seu Pai e Amigo, Servidor de Deus Altíssimo,

São José Castíssimo