Sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Mensagens diárias
MENSAGEM DIÁRIA DE SÃO JOSÉ, TRANSMITIDA NO CENTRO MARIANO DE AURORA, À VIDENTE IRMàLUCÍA DE JESÚS​

Enquanto não compreenderem que a paz no mundo nasce no interior de cada ser, vocês seguirão vivendo em tempos de caos e de indiferença para com Deus.

Para viver em um mundo pacífico, haverão de ser pacificado­res, não apenas nas grandes obras, mas em todos os instantes da vida.

O início dos conflitos no coração humano é sempre o mesmo: a impossibilidade de renunciar ao próprio parecer, a incapacidade de deixar-se humilhar, a ânsia de manifestar as coisas no mun­do segundo a própria compreensão, a falta de fraternidade e a incapacidade de aderir às ideias alheias e de tentar compreender a forma de pensar e de sentir dos demais, para que assim lhes mostrem o que, por si mesmos, não podem ver.

A falta de paz está sempre ligada à falta de humildade, porque um coração humilde, que não teme renunciar e aprender com os demais e com as situações da vida, vive sempre em paz, ao menos consigo mesmo. Se algo lhe tira a paz, é a tristeza de perceber que poucos despertaram para a Verdade e estão per­dendo a oportunidade de conhecer a paz, porque preferem se afirmar a si mesmos todo o tempo.

No mundo, os homens pecam pela ignorância, pela influência das forças da opressão e da involução e pela própria incapaci­dade de se darem uma oportunidade de renascer em conversão a um propósito superior. Mas aqueles que Me escutam, assim como escutam os demais Mensageiros Divinos, pecam por­que preferem afirmar-se a si mesmos a confiar em tudo o que aprenderam de Deus.

Quem terá maior pecado?

A paz não surgirá no mundo por intermédio dos corações dos ignorantes, porque estes estão cegos em sua ignorância e necessitarão do surgimento da Luz para encontrar o caminho à redenção.

Quem então abrirá as portas e janelas do mundo para o ingres­so do Sol?

Vocês, companheiros Meus, servos do Deus Altíssimo, escu­tam estas palavras não para que se tornem pessoas melhores em um mundo de absoluta indiferença para com os Planos de Deus; vocês escutam tudo isso para que, por meio de Palavras Divinas, o Senhor desperte ao menos uns poucos corações humanos dispostos a se tornarem nada e a renunciar a tudo,  

para fazer da própria consciência uma fonte de paz para o mun­do, a fim de que, gota a gota, essa paz possa saciar a sede dos que nunca a conheceram em vida.

A heroica obra destes tempos não é martirizar o corpo, é santi­ficar a consciência, porque muito mais difícil é para o coração humano renunciar ao seu parecer do que renunciar sua vida. Inclusive, há os que preferem a morte à humildade. Por isso, encomendo esta missão aos valentes de espírito, que batalharão em silêncio e vencerão no anonimato de sua pública derrota, pois a vitória dos humildes apenas Deus conhece.

Em amor e paz, desperta-os ao espírito da humildade,

São José Castíssimo