Quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Mensagens diárias
MENSAGEM DIÁRIA DE SÃO JOSÉ, TRANSMITIDA NO CENTRO MARIANO DE AURORA, À VIDENTE IRMàLUCÍA DE JESÚS

Oh, alma humana, que estás no último tempo de tua imperfeição, renuncia ao que te prende ao velho mundo e lança-te no infinito de uma nova vida. Luta com firmeza a tua última batalha deste ciclo de escuridão, batalha que te fará ascender a realidades sublimes e que, apesar de ser longa e dolorosa, os seus méritos nunca terão fim.

Oh, alma, que és tão desconhecida para ti mesma, mergulha no teu mundo interior e retira os véus que cobrem teus olhos humanos, para que descubras o infinito de tua própria consciência.

Alma de Deus, já tão cansada pelos ciclos de ilusão vividos nesta Terra, já terminam a cegueira e a indiferença, para que repouses, contemplando o despontar do Sol de um novo dia, de uma nova era.

Alma de Deus, que és tão pequena e infinita ao mesmo tempo; tua grandeza foi escondida pela ignorância da mente humana e tua pequenez se encontra na humildade, que hás de desvendar. Em ti, humildade e grandeza devem se encontrar, porque é apenas reconhecendo-te um pequeno nada que descobrirás a semelhança com o Deus que contém em Si todas as coisas.

Abre-te de coração ao Verbo Criador e fala por meio da oração e não mais com conceitos e limitadas ideias humanas.

Contempla, diante de ti, o exemplo grandioso da Sagrada Família e vence o preconceito milenar de ser puro e simples como esses três Sagrados Corações. O maior dos mistérios se desvenda na simplicidade.

Já não andes buscando tanto as grandes ciências, se a maior de todas as ciências é descobrir-se semelhante a Deus: nEle se encontra a Onisciência.

Enquanto o mundo ancora a matéria nos velhos padrões da Terra, eleva-te, alma pequena. Faze-te leve como o vento e retorna ao Pai. Carrega contigo, no silêncio de teu exemplo, toda a humanidade e, chegando aos Céus, abre as portas para o novo tempo, para o tempo que sempre foi, que é, mas que teu mundo nunca o conheceu.

Vai em busca do novo, do eterno, do infinito.

Aquele que te mostra o caminho para a nova era,

São José Castíssimo