Sábado, 19 de agosto de 2017

Quando o Menino Jesus era pequeno, Maria Santíssima era uma jovem mulher, e Eu tive que deixar os Seus Sagrados e Puros Corações para estar ao lado de Deus, Meu Coração se angustiava.

Minha vida sempre foi uma vida de renúncias, do princípio ao fim; era dessa forma que Deus lapidava Minha condição humana e manifestava em Meu Ser, em toda Minha consciência, o Seu Propósito Divino.

Renunciar, filhos, nunca foi para Mim uma coisa simples. Meu Coração - como cada coração humano - era cheio de apegos, de vontades, que pouco a pouco foram sublimando-se, mas foi no último instante de Minha vida, quando tive que renunciar a estar com Maria e Jesus, que finalmente pude entregar a vontade humana e viver
a Vontade de Deus.

Este é o impulso que lhes trago para o último dia da novena que lhes estou transmitindo, porque, para começar cada ciclo, é necessário renunciar ao ciclo que passou, entregando tudo nas Mãos de Deus, para que nada lhes pertença, a não ser a Graça de estar no vazio.

Neste último dia, orarão ao Pai em Meu Nome, para que aprendam a renunciar e que, assim como Eu, deem passos seguros, porque estarão vazios de si e plenos de Deus:


Senhor, assim como ensinaste São José a renunciar,
até no último instante de Sua vida,
ensina-nos a renunciar, ensina-nos a entregar as nossas vidas
e dá-nos a Graça de estarmos no vazio,
no nada que nos conduz à plenitude de Teu Coração.
Amém.


Hoje, vim por um pedido especial de Meu Filho, porque Ele honra os corações que são pequenos e que são simples. Vim até aqui, não apenas para falar-lhes mais uma vez; vim para imprimir em suas essências o exemplo de Minha vida, de Meu Casto Coração, para que, dessa forma, aprendam a dar passos seguros.

Hoje, venho convidá-los a entregar, nos pés deste altar, todo orgulho e vontade humana, para que comecem este novo ciclo de uma forma diferente, um pouco mais vazios de si. Porque no Céu são considerados soldados de Deus, um exército que obra pela Paz e que se esforça, ou que deve esforçar-se, todos os dias, para que este propósito da Paz se manifeste não apenas em suas vidas, mas em todo o planeta.

Filhos, a Consciência deste mundo, que é uma Consciência de perpétuo sacrifício, está agonizando. Seu Espírito já não suporta a Terra, já não sustenta o caos e o mal que lutam em meio à humanidade.

Por isso, hoje, venho em nome dessa Consciência, em nome dessa Sagrada Consciência, desse espírito de renúncia, de abnegação, que vem depositar sua experiência no planeta para que a humanidade aprenda qual é a essência do Plano de Deus para a Terra. Todos aqueles que vieram do céu, das estrelas, para aprender neste mundo, vieram viver um aprendizado de renúncia, de entrega, de serviço, para assim equilibrar as suas dívidas e aprender a amar.

Aqueles que cumpriram esse Propósito viveram e vivem até hoje, com plenitude, a entrega constante de seus corações, de sua evolução e, muitas vezes, filhos, renunciam inclusive à Vontade de Deus para suas consciências, para esperar que outros possam dar passos junto com eles.

Hoje, quero lhes revelar um mistério para que fortaleça suas vidas. Não para que o tomem com a mesma indiferença com a qual a humanidade viu passar todas as revelações que o Universo lhe entregou.

Este planeta é muito antigo e guarda em si muitas histórias, porém, muito mais antigo que ele é o Universo e o Cosmos, que está sobre vocês todo o tempo.

Esse Cosmos infinito, que partiu da Consciência Divina como uma grande aspiração de Deus de se renovar, seguiu a sua evolução. Deus criou os anjos, os arcanjos, os sóis, os planetas, criou as dimensões que, pouco a pouco, O separavam de Suas criaturas, não para que Ele não estivesse com elas, mas para que elas se fortalecessem, cruzando um obstáculo após o outro, até retornar à Consciência Divina.

E essas criaturas se multiplicaram; acompanhadas pelos anjos e pelos arcanjos, começaram a desenvolver sua evolução. Os arcanjos eram respeitados como verdadeiros governantes do Universo, porque Eles portavam o Pensamento Divino, Sua vontade era a Vontade de Deus. Eles representavam a expressão mais próxima do Criador, das Suas criaturas. Dessa forma, eram amados e respeitados por todos. O Seu verbo era uma lei que se mantinha viva no coração de todas as criaturas.

Mas os seres do Universo - que sabiam compartilhar o bem, mas que lhes faltava algo - não conseguiam cruzar as dimensões para chegar ao Coração de Deus. E o Criador manifestou um Projeto Divino, que seria pleno de dificuldades, mas que guardaria em si um grande potencial de transformar toda a vida na Terra.

Esse Projeto foi criado por um arcanjo, que se confundiu com suas próprias criações, até deixar-se enganar por aquelas criaturas que foram manifestadas para serem os obstáculos da vida na Terra. Seus olhos já não brilhavam como a luz, mas, ainda assim, muitas criaturas o respeitavam. Os seus enganos, os seus erros, levaram a que muitos seres do Universo cometessem graves erros, irreparáveis, que causaram feridas que chegaram até o Coração de Deus. Mas o Projeto da Terra não se deteve, porque, ainda assim, as criaturas que viveriam na Terra guardavam um potencial de amor único, capaz de converter até a mais escura das criaturas e, dessa forma, trazer de volta o brilho dos olhos daquele Pai Criador tão amado do Universo, aquele arcanjo soberano que, confundido por falsas leis, caiu em enganos.

O Projeto da Terra, filhos, ainda é uma esperança no Coração de Deus, não apenas para que as almas vivam a Redenção, mas para que aqueles que estão no Cosmos e que ainda aguardam poder cruzar as dimensões até chegar no Coração do Pai, possam retornar.

E um mistério maior lhes revelo: essas criaturas, todas as criaturas que partiram do Coração de Deus quando ele se multiplicou em Três, devem retornar, não apenas para que Deus viva a Unidade, mas para que o Criador renove a Si mesmo, supere-Se no Amor através de Suas criaturas, que são partes vivas de Seu Coração, para que, um dia, uma nova evolução comece, baseada no amor que nasceu na Terra, que redimiu a vida humana e a vida Universal, até renovar e superar o Coração de Deus.

Muitos podem pensar que esse destino está distante, que essa realidade está tão longe de suas vidas, mas Eu venho para dizer-lhes, filhos Meus, que essa realidade começa dentro de cada um de vocês quando podem transcender a condição humana, as dificuldades tão pequenas, o pensamento mesquinho que está sempre sobre si mesmo e que não os deixa compreender que não estão nesta Terra apenas pela própria evolução, mas por uma evolução divina, porque são parte da Consciência de Deus, que estão tão enganados e tão perdidos como aquele Pai Criador que se confundiu no Universo.

Hoje, venho abrir os seus olhos, a pedido de Meu Filho, para que despertem para uma Verdade superior e já não se enganem. As prioridades de suas vidas devem ser outras, ainda que seus pés tenham que tocar a terra todos os dias até o final de sua evolução na Terra.

Através de vocês, do verdadeiro despertar de seus corações, a vida na Terra se transforma e já não será esta pequenez do dia a dia a única razão da existência humana. Não vieram ao mundo apenas para nascer, estudar, trabalhar, casar-se, ter filhos, envelhecer e morrer. Este não é o sentido da vida. Não foi para isso que Deus criou a humanidade.

Deixem despertar em suas essências este potencial oculto que revela o verdadeiro sentido da existência humana. Deixem, filhos Meus, que esse Propósito converta as suas vidas e as transforme, não para que deixem de estudar ou trabalhar, mas para que sejam um motor de transformação nos lugares onde estudam, onde trabalham, onde vivem. Que sejam uma semente viva desse Propósito superior que, pouco a pouco, converte o seu arredor para um dia transformar a vida na Terra e torná-la sagrada.

Se não há chuva, o rio não enche, os lagos secam. Cada gota da chuva é importante para que os rios se renovem e os lagos cresçam e reflitam o Universo na vida da Terra. Se vocês pensam que são uma pequena gota em meio à existência humana, eu lhes digo que isso é certo; são uma gota pequena, simples, quase insignificante no meio da humanidade, mas, se seus corações se preenchem da Graça divina e se deixam fazer parte dessa chuva que provém do Cosmos para renovar a vida na Terra, aí sim, filhos Meus, essa gota terá sentido de existir e fará a diferença, não só na vida deste mundo, mas em todo o Universo.

Deixem que Minhas palavras ressoem em seus corações, porque hoje não falo apenas às suas mentes, estou despertando os seus espíritos. Estou trazendo cada um deles até aqui, para que contemplem seus corações e sintam o que neste momento sentem.

O que demonstrarão a esses espíritos em evolução? Sei que muitos não acreditam em Minhas palavras e, como não Me podem ver com os olhos físicos, muitos não creem que Eu estou aqui. Mas, hoje, filhos, deixem que Minha presença se revele no interior de seus corações. Sintam Minhas palavras como um raio universal que desce ao mundo para transformá-los definitivamente. E deixem finalmente que seus espíritos em evolução sintam uma esperança, ainda que seja por um instante, quando seus corações se abrem para escutar a palavra de Deus no eco de Seus Mensageiros.

Hoje, não venho encerrar um ciclo com vocês; venho começar um novo ciclo. Por isso, o Meu verbo lhes abre as portas de uma nova vida.

Cada um de vocês, filhos Meus, deverá se fazer responsável pelos próprios passos de ingressar ou não nesta porta que lhes abro, que conduz ao Universo, ao Infinito, que conduz aos Reinos que se escondem no interior da Terra, para que os reconheçam quando eles emergirem na superfície, para que tenham os seus corações unidos aos corações das Hierarquias quando Elas se manifestarem aos olhos dos homens, porque muitos não compreenderão Minhas palavras e não recordarão delas quando tudo acontecer. Mas vocês, sim, devem recordar, devem manter o coração em paz e viver o momento para o qual vieram na Terra, para o qual se prepararam há tantos anos, para o qual Eu os preparei no silêncio de uma instrução persistente e quase invisível para a humanidade.

Sim, os tempos se agudizam no planeta, mas a sua atenção não deve estar no sofrimento humano, mas em tudo o que podem fazer para reparar e equilibrar a vida da humanidade.

Dessa forma, ainda que as almas sofram, ainda que os Reinos padeçam, as essências, filhos, poderão ser salvas e ter uma oportunidade através dos méritos gerados por seus corações.

A pedido de Deus, já não virei todos os dias à Terra. Mas, até que o Criador Me permita, estarei com Meus filhos, Meus amigos e companheiros, em uma tentativa constante de que vivam o despertar todas as sextas-feiras. Dessa forma, filhos, Deus quer lhes ensinar a valorizar o ensinamento dos Mensageiros Divinos e compreender que, verdadeiramente, os tempos estão mudando e os soldados e companheiros de Cristo devem ser consequentes com essa mudança.

Ainda que não Me vejam todos os dias, Eu estarei com vocês, porque Minha casa não será apenas aqui, mas todo o planeta. Minha Instrução deve se ampliar para toda a humanidade. Se Meu Coração se afasta, aparentemente, não é um símbolo de abandono, mas um símbolo, filhos Meus, de que já cresceram o suficiente para, pouco a pouco, irem liberando os Mensageiros Divinos para que cumpram tarefas maiores.

Durante este tempo, cresçam, amadureçam seus corações e gerem méritos para um dia poder conhecer a verdadeira história desta humanidade, que vai muito além de tudo o que lhes disse.

Hoje, novamente lhes entrego o Relicário de Meu Coração como símbolo de Minha gratidão eterna por responderem ao Meu chamado.

Ainda que muitos não acreditem, quando Meu Filho colocar os Pés sobre a Terra, e Sua Santa Mãe também for visível aos olhos humanos, Eu Os acompanharei, e a Sagrada Família, que um dia foi o símbolo da esperança da humanidade, voltará a se mostrar aos homens, com Corações Divinos, Espíritos resplandecentes, que lhes mostrarão o caminho e o tempo definitivo de recomeçar.

Hoje, por uma Graça divina, não só o Coração de Meu Filho se manifestará neste pão e neste vinho. Hoje, retiro de Meu peito o Relicário de Meu Coração e, a pedido de Deus, mais uma vez, esvazio-Me de tudo, por amor à humanidade, por amor ao Plano que o Criador tem para esta Terra e sobretudo, filhos, para que um dia possam imitar o Meu exemplo, possam retornar ao Pai e fazer de sua evolução um triunfo que renova e supera o Coração de Deus.

Recebam esta Graça de Meu Coração que se multiplica. Estendam suas mãos a Mim. E como um mistério infinito, assim como consagro este pão e este vinho, consagro suas almas, suas vidas e lhes peço que não sejam os mesmos. Que não se rendam ao orgulho humano, à pequenez de suas personalidades. Que, finalmente, vivam a Vontade de Deus para cada um de vocês.

Que Meu Coração se multiplique, toque não apenas suas mãos, mas todo o seu ser, ingressando em suas essências, retirando delas as capas da ilusão, para que Deus se manifeste em seu interior.

Levem as mãos ao coração, elevem o pão e o vinho e orem Comigo um Pai-Nosso em aramaico, como Meu Filho lhes ensinou há tanto tempo.

Peço-lhes que pintem, de uma forma muito simples, o Relicário de Meu Casto Coração, para que em cada Centro Mariano, todas as sextas-feiras e especialmente nos dias 19 de cada mês, possam contemplá-Lo e recordar que Ele não está apenas diante de vocês, mas que, neste dia, Eu o depositei em seu interior, para que Ele os transforme pouco a pouco, até que possam ser uma expressão da nova humanidade.

Com essas palavras, lhes agradeço, elevo-Me aos Céus, aos Reinos Sublimes, com o canto dos anjos e dos arcanjos e na divina esperança de que possam se renovar, renovar o Coração de Deus, ser um alento para o Coração de Cristo, um triunfo para Sua Mãe Celestial e o símbolo de que valeu a pena estar tanto tempo entre os homens, no fim dos tempos.

Agradeço-lhes.

Cantem. E ofereçam este momento por toda a humanidade, pelos Reinos da Natureza, pelo espírito do planeta e aliviem também o seu coração ferido.

Eu os abençoo e os renovo, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

São José Castíssimo