Sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Mensagens diárias
MENSAGEM DIÁRIA DE SÃO JOSÉ, TRANSMITIDA NO CENTRO MARIANO DE AURORA, À VIDENTE IRMàLUCÍA DE JESÚS​

A Paz é um dom divino no coração daqueles que confiaram suas vidas ao Pai Altíssimo.

A Paz na vida espiritual provém da renúncia de todos os resul­tados de suas obras. Por mais que o coração se esforce para transcender os próprios limites, em prol do cumprimento da Vontade de Deus, ele não se apega aos resultados nem em si, nos demais e nem em coisa alguma.

Nestes tempos, para não desgastar o coração nem o ânimo de seguir adiante, vocês devem manter-se em paz e cruzar os dias de conflito interno e de purificação com certa confiança no porvir, e não tão envolvidos com a transição que vocês ou outros vivem.

Deus lhes deu a oportunidade de se purificarem sob o dom de Sua santa Paz, ao amparo dos Seus Centros Marianos e em uma época na qual o caos ainda está começando o seu ciclo de expansão.

Felizes dos que se valem das dádivas entregues por Deus, por­que Ele espera que, em um tempo próximo, vocês não estejam mais trilhando os caminhos básicos da própria transformação, mas que auxiliem os que terão de suportar o brusco despertar que viverão e as mudanças internas e externas que acontecerão com violência, por dizer de alguma forma, em todo o planeta.

Sejam mais simples, não Me cansarei de dizer-lhes, porque, quando descobrirem o dom da simplicidade, não enredarão mais a própria consciência nas coisas corriqueiras da vida e não perderão energia espiritual com conflitos que serão, de agora em diante, o comum viver da consciência humana e que, inclusive, crescerão em intensidade.

Tudo depende daquele que passa pela purificação e dos que estão ao seu redor. Se vocês aprenderem a viver tudo com natu­ralidade e sem espanto, poderão ajudar para que o processo de cada um seja menos doloroso.

Não lhes digo que sejam indiferentes diante das provas que vocês ou seus irmãos vivem, mas que tratem de trazer o bálsamo da simplicidade e da paz a essas situações, reconhecendo com maturidade o que deve ser transformado e encaminhando-se à limpeza do próprio lodo interior.

Sei que existirão reações internas e externas que vocês não poderão controlar e que apenas terão clareza sobre elas quando, em um momento de maior lucidez, refletirem sobre o que lhes acontece. Não pensem que não há solução para o que vivem, mas aos poucos tentem não se envolver tanto com os próprios processos.

Sejam mais diretos e, inclusive, mais frios consigo mesmos. Percebam um erro e tentem transformá-lo. Ao reconhecer que caíram e só se deram conta ao estar no chão, levantem-se e con­tinuem a caminhar, pois mais adiante poderão abrir os olhos de outros, para que sejam evitadas tantas quedas.

Sirvam e sacrifiquem-se com paz e com valentia, porque o ser­viço abnegado os ajudará a descobrir a verdade da grandeza do Plano de Deus e que, no mundo e mesmo ao redor de vocês, existem maiores necessidades do que as suas e maiores proble­mas do que a própria purificação.

Amem os tempos em que vivem, na certeza de que o triunfo de Deus em suas vidas se gestará a partir dessas transformações que, às vezes, são incômodas, mas que sempre valerão a pena.

Na simplicidade de Minhas palavras, deixo-lhes Minha paz, para que recebam de Meu Espírito Divino tudo de que neces­sitam para consagrar a matéria.

Tudo seja em prol da manifestação da Vontade de Deus.

São José Castíssimo, pacificador e simplificador dos corações humanos