MENSAGEM PARA A APARIÇÃO DE MARIA, ROSA DA PAZ, TRANSMITIDA NA CIDADE DE BUENOS AIRES, ARGENTINA, AO VIDENTE FREI ELÍAS DEL SAGRADO CORAZÓN DE JESÚS

No princípio, Deus pensou e sentiu em Seu Misericordioso Coração que deveriam existir criaturas tão semelhantes a Ele que, por amor à vida, pudessem povoar todos os espaços do Universo para poder experimentar a felicidade de estar dentro de Seu Reino.

Ali foi quando nasceu o Projeto Divino, porque Seus Filhos, seres da Terra e de todo o Universo, eram o mesmo Projeto, que surgiu e foi criado por intermédio dos Arcanjos nas Fontes de Luz.

Dessas Fontes de Luz, todos os Seus Filhos guardam, dentro de si, uma chispa divina, a chamada Essência.

Mas foi quando se manifestou a primeira desobediência por parte de um dos Anjos de Deus que surgiram o mal e a escuridão, estados opostos à luz e à iluminação da consciência. 

Nesse momento, o Projeto Divino foi interferido, e para que o Projeto não se deteriorasse, o Pai Celestial decidiu Ele mesmo manifestar-Se e encarnar em diferentes momentos do planeta.

Foi assim para demonstrar que Ele amava e ama profundamente Suas Criaturas e que os amará eternamente, porque ninguém além do Pai Eterno conhece e sabe quem são Seus Filhos em essência e porque hoje estão aqui, sobre a superfície da Terra.

Dessa primeira desobediência surgiram os primeiros erros universais. Uma ação contrária e oposta à Vontade Divina foi criada no Universo Mental e por último se plasmou no Universo Material.

Através de acontecimentos e de fatos que levaram os Filhos de Deus a sair da Lei uma inumerável quantidade de vezes, surgiu o que conhecemos como a dualidade, que é o sentimento espiritual, mental e material de encontrar-se dividido ou contrariado diante dos passos espirituais ou internos que deve dar uma consciência a serviço de Deus.

Então, Deus voltou a encarnar há pouco mais de dois mil anos; desta vez, o Pai Eterno decidiu que a Sua Segunda e Divina Pessoa, o Filho, chegasse à Terra através de uma preparação espiritual e cósmica que fosse capaz de reverter o desvio que naquele tempo estava vivendo a humanidade inteira.

Foi assim que grandes consciências servidoras do Universo ajudaram na preparação da encarnação do Filho de Deus, e, através da ação suprafísica e imaterial de Leis superiores, o Pai Eterno concedeu que a Santíssima Mãe fosse fecundada pelo Espírito Santo e que, através de um desenho perfeito e sublime, trouxesse a Segunda Pessoa de Deus à Terra.

A partir do nascimento de Cristo, todas as criaturas da Terra encontrariam a chave perfeita para dissolver e vencer, por si mesmas, a dualidade, que gerava dívidas impagáveis e que segue despertando contrariedade e oposição ao Plano Divino.

Essa chave, que abriu e sempre abrirá as portas, chama-se Amor. O Amor de Deus que é sabedoria. O Amor que é entendimento. O Amor que dá ciência a tudo o que existe. 

Por isso, este é o tempo de voltar a transcender essa dualidade dentro de cada um, colocando todo o ser e toda a consciência em Deus, onde vocês sempre encontrarão sentido e resposta para tudo o que vivem.

Porque se existirem mais consciências que trabalhem todos os dias para vencer essa dualidade ou essa desigualdade espiritual, vocês impulsionarão outros para que também o vivam e o façam, e possam romper a corrente do sofrimento e dos erros milenares, que só levam a humanidade à escuridão e à confusão.

Se sua consciência está em Cristo, nada será duvidoso nem confuso, porque em Cristo estarão em sabedoria, estarão em discernimento, para que, nestes tempos tão complexos, não sejam confundidos no caminho de fé que decidiram percorrer.

Por essa razão, os Sagrados Corações vêm ao seu encontro como fizeram em outros momentos agudos da humanidade, quando o caminho da oração e do serviço foram pontes que levaram milhões de almas a encontrar sua própria redenção.

Agora é o tempo de levar as nações, como, por exemplo, a Argentina, para que não se esqueça de Deus, para que sua aprendizagem e escola  seja benéfica para todos os que a integram neste ciclo.

A Argentina necessita manter-se protegida dos embates através de responsáveis e maduros grupos de oração que, como em uma guerra espiritual, não deixem de clamar ao Pai e de atrair Seus Dons e Atributos para poder manter a paz e a unidade interior nos tempos de crise, para que nenhum irmão se levante contra seu irmão, para que exista o espírito do entendimento e da Verdade.

Agradeço-lhes por responderem ao Meu chamado!

Abençoa-os,

Sua Mãe, Maria, Rosa da Paz

MENSAGEM DIÁRIA DE MARIA, ROSA DA PAZ, TRANSMITIDA NO CENTRO MARIANO DE FIGUEIRA, AO VIDENTE FREI ELÍAS DEL SAGRADO CORAZÓN

Os Elohim: Anjos Dourados

Na essência do Coração de Deus, surgiu uma vez o grande propósito de criar a vida e os planos de consciência.

Como lhes disse ontem, queridos filhos, os Arcanjos, os chamados resplandecentes, nasceram a partir da inspiração divina, que fez concretizar e manifestar os seres arcangélicos e angélicos.

Deus expressou, no Universo Mental, doze principais manifestações, que surgiram da Fonte Puríssima. Dali, os doze Elohim, como raios e impulsos de fogo, nasceram dentro da consciência do Universo Mental Superior.

Do momento em que o Eterno teve a Sagrada Vontade de que, de sua Essência Puríssima, nascessem os Arcanjos, o Universo Mental já era uma realidade vital dentro do Universo Espiritual.

Os Elohim foram designados pelo Altíssimo para levar adiante a organização e a manifestação de todos os universos, onde futuramente existiria a vida.

Foi assim que, desde o momento em que os Elohim se manifestaram dentro do Universo Mental, as primeiras legiões eram criadas, sutilmente, em reservatórios de luz, grandes receptáculos e canalizadores de energia divina, anteriores aos Espelhos.

Vejamos, então, queridos filhos, como a história divina da Criação, anterior à vida material, foi considerada pelo próprio Deus como um projeto de amor e de absoluta Unidade.

Foi com base no amor e na unidade que as Hierarquias Angélicas, os chamados Elohim, desenvolveram o projeto do Pai Eterno e deram continuidade à obra da Criação.

Os reservatórios de luz também foram criados pela essência da Vontade Divina, e foram os primeiros Elohim aqueles que acompanharam a manifestação desses estados de consciência que, em si, guardavam o surgimento espiritual da vida angelical.

Cada Arcanjo, como Pai Criador, depositou, nos reservatórios de luz, uma molécula dos doze raios espirituais que estiveram presentes no momento do nascimento dos seres angélicos. Uma consciência angélica nasce a partir da expressão do Amor no Universo Mental e é por intermédio de um ato de profunda união que o Arcanjo estabelece com a Fonte Única.

Nesse momento, o Arcanjo projeta sobre o reservatório um potentíssimo caudal de Amor e de Unidade, e, em consequência, o reservatório, mediante o agrupamento de todas as moléculas dos Pais Criadores, faz emanar uma consciência angélica, que está dentro de um precioso cristal magenta, azul, verde, branco ou dourado.

Quando a consciência angélica surge do reservatório, por um período determinado, o cristal fica suspenso sobre o reservatório, até que termine de ser constituído, como a gestação de uma criança no ventre de sua mãe.

É a energia criadora e divina que gesta interiormente o propósito dessa consciência angélica. O cristal pode conter algum dos doze raios para demonstrar ao Universo Mental qual foi a Vontade Maior de que o novo anjo cumpra sua tarefa e seu serviço.

Então, depois de sua manifestação como consciência mental e espiritual, o anjo vive uma formação, que o ajuda a desenvolver sua missão no universo mental ou material.

Depois que os arcanjos vão formando os Exércitos de Luz, que, desde o seu nascimento, vivem o serviço incondicional e a união perfeita com o Eterno, começa a materialização das academias dos raios, para que cada ser angélico desenvolva seu propósito perante o Pai.

Em seguida, manifesta-se a formação espiritual dos sete Céus ou dos sete Estados de Consciência Divina, onde os grandes exércitos começam a povoar as dimensões celestiais.

Nesse momento, os Arcanjos definem, sob a Vontade Máxima, a missão de cada consciência angélica, o que determina, em seguida, qual dos Céus ou dos Estados de Consciência lhe corresponderá servir eternamente.

Cada um dos Pais Criadores assume o governo de um dos sete Céus, para que, desde o princípio, se cultive entre as consciências a Lei da Hierarquia.

Conforme tenha sido o surgimento da consciência angélica dentro do cristal, assim será a missão que viverá.

Se um anjo surgiu do reservatório de luz num cristal magenta, isso significa que o Pai Criador vai lhe atribuir a missão de viver o amor, de irradiá-lo e de protegê-lo nos universos.

Se um anjo surgiu do reservatório de luz num cristal azul, isso significa que o Pai Criador vai lhe atribuir a missão de proteger e de vivificar a unidade em todos os universos, como também de ser guardião do conhecimento sagrado das leis espirituais, mentais e materiais.

Se um anjo surgiu do reservatório de luz num cristal verde, isso significa que o Pai Criador vai lhe atribuir a missão de exercer a lei da cura e de emanar continuamente a harmonia em toda a Criação e onde ele se encontre.

Se um anjo surgiu do reservatório de luz num cristal branco, isso significa que o Pai Criador vai lhe atribuir a missão de atrair para si os mais altos graus de pureza e de expandi-la como essência aos universos.

Se um anjo surgiu do reservatório de luz num cristal dourado, isso significa que o Pai Criador vai lhe atribuir a missão de eterno louvor ao Único, formando entre seus membros os chamados coros celestiais, que atraem aos universos os Princípios da Fonte de Deus.

É assim que os Pais Criadores enviam em missão todos os anjos que nasceram da Fonte por intermédio dos reservatórios de luz, para que, junto aos seus regentes arcangélicos, assumam a missão de proteger e defender a evolução dos universos, por meio dos diferentes raios para os quais foram designados.

Os Elohim são parte do Propósito Divino e eles estão representados pelas doze principais emanações de Deus, o que compreendemos como os arcanjos. A partir daí, as doze emanações formaram os doze governantes e dos governantes angélicos surgiram outras doze emanações, até se chegar aos anjos da guarda.

O Universo Mental não tem limites; é um estado infinito formado pela Vontade de Deus. Nele se vive o estado da resplandecência, que é cada consciência angélica gerar, em si, os mais altos graus de amor e de unidade com o Único.

Toda a consciência angélica existe para proteger e guardar a Essência do Projeto de Deus dentro do Universo Espiritual, Mental e Material. É assim que os Elohim podem penetrar as dimensões e os planos, ainda que sejam seres mentais, porque eles são movidos o tempo todo pelo espírito da obediência e do serviço eterno.

O Pai, desde o princípio, concebeu os Elohim como Seus principais guardiões do Propósito da Criação e de toda a vida existente nos universos.

Foi assim que, por intermédio dos resplandecentes, surgiu a primeira experiência da irmandade cósmica, que mais tarde se estabeleceu como premissa para todas as consciências presentes nos diferentes planos.

Os Elohim são considerados também os Mensageiros ou Porta-Vozes da Fonte Primordial para o Universo Material. São os que levam adiante a concretização do Propósito Divino e são os que impulsionam os anjos da guarda para que cada alma viva sua missão dentro da Criação, para assim cumprir a finalidade do Pai.

Agradeço-lhes por responderem ao Meu Chamado!

Em união com cada anjo da guarda,

Sua Mãe Maria, Rosa da Paz e Rainha dos Anjos

MENSAGEM DIÁRIA DE MARIA, ROSA DA PAZ, TRANSMITIDA NO CENTRO MARIANO DE FIGUEIRA, AO VIDENTE FREI ELÍAS DEL SAGRADO CORAZÓN

A Rede de Comunicação dos Espelhos Celestes (continuação)

Abra seu coração e esvazie sua mente para compreender e viver os mistérios da Criação.

Nessa abertura, você poderá penetrar a essência do conhecimento, e tudo o que é sagrado no Universo não lhe chegará somente como informação, mas também como códigos de Luz que despertam em seu ser para transfigurá-lo.

Este é o poder dos espelhos, usinas celestiais de harmonia universal que concentram dentro de si todos os atributos da Criação. Dizemos e entendemos por atributos todos os raios e correntes celestiais que os Pais Criadores utilizaram para a manifestação dos planos e da vida.

São esses atributos que permitem, de tempos em tempos, renovar a vida universal e todos os ciclos, trazendo impulsos positivos que compenetram toda a Criação. É assim que os Espelhos Celestes guardam em si a lembrança de nossa origem espiritual, mental e material.

No princípio, na origem, o que compreenderíamos como a essência do Pensamento de Deus, a Fonte criou os Arcanjos, para que eles criassem os exércitos de luz no Universo Mental; e foi assim que, no princípio de tudo, o Universo Mental foi gestado pela existência dos primeiros exércitos dos Elohim.

Essas consciências resplandecentes foram impulsionadas a colaborar na criação do Universo Material, porque, no Pensamento e no Coração do Pai Eterno existia a Vontade de que houvesse grandes experiências de Amor que superassem todas as anteriores.

Os Pais Criadores desde o princípio criaram, a pedido de Deus, os Espelhos Celestes, porque dentro do Universo Material e Mental eles ajudariam na evolução espiritual de toda a vida universal.

Os Espelhos Celestes foram formados também por doze atributos, doze raios ou doze correntes de energia espiritual e divina que permitiriam manter a história da origem da Criação bem guardada e disponível, como uma informação luminosa para todas as consciências que seriam criadas à imagem e semelhança de Deus.

Os doze atributos que se expressaram durante a gestação do Universo Mental e Material emanaram diretamente do que conhecemos como Fonte da Criação, que é a essência pura e imaculada do Pai Eterno.

Desde então, durante doze ciclos ou doze tempos, o Universo Mental e Material que estava em formação recebeu esses impulsos espirituais para que se terminasse de constituir a vida evolutiva nos diferentes planos.

O primeiro atributo emanado da Fonte foi o da VIDA. Deus, naquele momento, decretou:“Que em todos os planos exista a Vida, que será visível e invisível, mas que, em essência, estará cheia de Amor”.

O segundo atributo emanado da Fonte foi o da UNIDADE. Deus decretou naquele momento: “Que toda Vida que se manifestará à semelhança da Minha conheça e viva a Unidade para alcançar a Fonte através do Amor”.

O terceiro atributo que emanou da Fonte foi o do AMOR. Deus decretou naquele momento: “Que o Amor Divino seja conhecido por toda a Vida e que a Vida expresse todos os graus de amor para que a evolução avance”.

O quarto atributo que emanou da Fonte foi o da SABEDORIA. Deus decretou naquele momento: “Que a Sabedoria torne sagrada toda a Vida; que os espíritos enobreçam suas consciências ao terem conhecimento do amor e da unidade”.

O quinto atributo que emanou da Fonte foi o da HUMILDADE. Deus decretou naquele momento: “Que toda a Criação seja humilde em seu espírito e em sua constituição; que o verdadeiro governo e evolução alcancem os humildes e que toda a vida imite esse sagrado caminho”.

O sexto atributo que emanou da Fonte foi o da COMPAIXÃO. Deus decretou naquele momento: “Que a Compaixão absoluta surja na vida universal para que as consciências recordem que tudo é baseado no Amor e na Misericórdia”. 

O sétimo atributo que emanou da Fonte foi o da MISERICÓRDIA. Deus decretou naquele momento: “Que toda a Criação viva em essência a Misericórdia e que essa lei vivifique quem a contemplar em devoção”.

O oitavo atributo que emanou da Fonte foi o da POBREZA DE ESPÍRITO. Deus decretou naquele momento: “Que a verdadeira evolução aconteça em todos os pobres de espírito para que nada nem ninguém, nenhuma tentação os desvie do sagrado caminho”.

O nono atributo que emanou da Fonte foi o do SERVIÇO, e Deus decretou naquele momento: “Que a cooperação e a ajuda mútua estabeleçam nos universos o espírito do serviço; que o amor e o serviço penetrem toda a vida para que a fraternidade surja e seja a base da evolução universal”.

O décimo atributo que emanou da Fonte foi o da PIEDADE, e Deus decretou naquele momento: “Ditosas todas as consciências que implorarem ao Meu Santo nome, porque terei Piedade absoluta por cada uma delas e, assim, conhecerão o poder da Misericórdia de Meu Coração”.

O décimo primeiro atributo que emanou da Fonte foi o da ETERNIDADE, e Deus decretou naquele momento: “Que toda a Criação conheça, depois de sua experiência, a Eternidade; que todos os planos que guardam a vida universal elevem os espíritos para que se fundam com o infinito e, assim, alcancem a imortalidade”.

O décimo segundo atributo que emanou da Fonte foi o da CIÊNCIA, e Deus decretou naquele momento: “Que toda a Criação e a vida tomem consciência das Leis e que elas conduzam, guiem e readaptem toda a vida universal, sob o espírito da harmonia”.

Estes doze atributos foram guardados essencialmente dentro dos Espelhos Celestes, que também irradiam esses princípios criadores para todo o universo material.

Os espelhos celestes são como grandes estados de consciência divina presentes em três planos: material, mental e espiritual. E, assim, se estabelece em todo o universo um poderoso equilíbrio que é sustentado pelas consciências angélicas.

É assim que a Rede de Comunicação dos Espelhos ajuda na redenção e na reabilitação de toda a vida, em ciclos e em tempos diferentes. Dessa forma os Espelhos Celestes, contando com esses impulsos divinos, tornam-se fontes de emanação de amor e de unidade para toda a vida.

A existência dos espelhos celestes recorda a toda a vida planetária que as almas sempre devem aspirar a se tornarem um dia semelhantes a um Espelho, não por sua potência, mas para poder espelhar o que o Pai espera de cada criatura, assim como Ele pensou no princípio.

Agradeço-lhes por responderem ao Meu chamado!

Unida ao espelho de luz de cada coração,

Sua Mãe Maria, Rosa da Paz

MENSAGEM DIÁRIA DE MARIA, ROSA DA PAZ, TRANSMITIDA NA CIDADE DE PORTO, PORTUGAL, AO VIDENTE FREI ELÍAS DEL SAGRADO CORAZÓN

Rezar pelos que são indiferentes

Queridos filhos:

A indiferença humana que, consciente ou inconscientemente, vivem muitos corações é o resultado da falta do verdadeiro amor.

Esse amor que tudo pode não é do interesse pessoal das consciências indiferentes que, ao longo dos tempos, afirmaram seus projetos dentro do plano mental.

É a ausência de amor que os faz indiferentes e os afasta do Coração de Deus. È assim que, no caminho dessas almas, os destinos esmaecem e se perdem, porque nelas tampouco existe paz.

Neste tempo, queridos filhos, a indiferença é uma enfermidade espiritual e própria que muitos estão vivendo, até que chegue o momento na vida dessas consciências, em que tudo se quebrará de dentro para fora. A indiferença, como energia, deixá-los-á no mesmo ponto e, a partir daí, nada se moverá.

Porém, quando outras almas oram pelos que são indiferentes, uma Graça não merecida pode descer e atuar a ponto de converter essas consciências em outras pessoas.

Contudo, quando os que são indiferentes não vivem o amor e tampouco o professam, será mais complexo descristalizar uma consciência inferior.

Somente o amor arriscado e pacífico consegue, em uma consciência aberta, conquistar a vida e assim transformá-la em um modelo de Deus.

Neste ciclo, a indiferença é uma das importantes sequelas geradas pela falta de amor e de serviço ao próximo; é uma grande ferida gerada pela propriedade e a arrogância espiritual.

Chaves preciosas, como a oração sincera e espontânea, foram entregues para fazer desaparecer essa enfermidade espiritual que traz consequências irreversíveis.

Através do trabalho que, neste tempo, Eu realizo com vocês, tento afastar os Meus filhos do perigo iminente dessa enfermidade espiritual, que alguns dos Meus já vivem.

Somente com amor e por amor se poderá atravessar essa barreira, essa cegueira que o Meu adversário impõe aos corações que todo o tempo só olham para si mesmos, e que esqueceram a necessidade do outro.

Que essa indiferença seja eliminada por todos os corações que amam Cristo, para assim ajudar a liberar do caminho do erro permanente os que já ingressaram e não sabem como sair dele.

A todos eles ofereço Meu Coração como fonte de transformação, de renúncia e de sacrifício, porque a indiferença teme o esforço permanente e todo ser que ama com a propriedade interior que Cristo lhe dá.

Rezemos pelos que sofrem essa decadência. Sejam justos e misericordiosos uns com os outros, assim não serão presa dessa dolência espiritual da humanidade.

Não deixo de implorar para que os indiferentes tomem consciência e se transformem, transformem-se logo.

Agradeço-lhes por responderem ao Meu chamado!

Rezo por todos os que são indiferentes,

Sua Mãe Maria, Rosa da Paz

Quem somos?

Associação Maria
Fundada em dezembro de 2012, a pedido da Virgem Maria, a Associação Maria, Mãe da Divina Concepção é uma associação religiosa, sem vínculos com nenhuma religião instituída, de caráter filosófico-espiritual, ecumênico, humanitário, beneficente, cultural, que ampara todas as atividades indicadas através da Instrução transmitida por Cristo Jesus, pela Virgem Maria e por São José. Ler mais

Contato