MENSAGEM PARA A VIGÍLIA DE ORAÇÃO PELA PAZ NAS NAÇÕES RECEBIDA NO MONTE AREQUITA, LAVALLEJA, URUGUAI, TRANSMITIDA POR MARIA, ROSA DA PAZ, AO VIDENTE FREI ELÍAS DEL SAGRADO CORAZÓN DE JESÚS

Há mais de quinhentos anos, sua Mãe Celeste, a Guadalupana, desceu sobre o Monte Tepeyac.

Hoje, depois de mais de quinhentos anos das aparições da Virgenzinha de Guadalupe no México, sua Mãe Santíssima desce sobre o Cerro Arequita para reabrir o grande Portal Espiritual, a grande oportunidade cósmica da redenção definitiva do Uruguai.

Por isso, hoje é um dia importante de celebração no Céu, não só porque os fiéis devotos da Guadalupana oferecem suas orações e carinho à sempre Virgem das Américas, mas para o Céu também é motivo de júbilo que o Uruguai, como país destinado ao reaparecimento de Cristo, tenha encontrado um caminho seguro por onde possa retornar a Deus, para que a fé e a devoção do povo uruguaio amadureçam.

Assim como a Guadalupana esteve no alto do Tepeyac, em companhia de São Juan Diego e de todo o seu povo originário, da mesma forma, hoje, sua Mãe Celeste é coroada e amada pelos descendentes da consciência indígena charrúa, que neste dia devolve à alma do Uruguai os valores sagrados que os ancestrais indígenas charrúas viveram com tanta reverência, simplicidade e fé.

Assim, a Mãe das Américas, a Virgenzinha de Guadalupe, volta a unir o que antes estava separado no plano espiritual da consciência dos uruguaios para que, nesta última chance, o povo do Uruguai tenha a oportunidade de reintegrar-se ao caminho do Propósito que deverá cumprir como país.

Por isso, este dia é de celebração, não só porque os filhos de Deus recordam a Virgenzinha de Guadalupe, mas também porque a Mãe de Deus concede uma anistia espiritual a uma nação que era considerada perdida.

Que neste dia de Vigília cada coração declare um ato de gratidão, para que nas nações possam seguir cumprindo-se o que cada povo terá que expressar e concretizar dentro do Plano de Deus.

Agradeço-lhes por responderem ao Meu chamado!

Abençoa-os,

Sua Mãe, Maria, Rosa da Paz