MENSAGEM DIÁRIA DE SÃO PIO, TRANSMITIDA NO CENTRO MARIANO DE FIGUEIRA, MINAS GERAIS, BRASIL, AO VIDENTE FREI ELÍAS DEL SAGRADO CORAZÓN DE JESÚS

Autismo, uma oportunidade de superação

O autismo é uma situação anormal para a humanidade. Mas, segundo a filosofia oriental, o autismo é uma situação presente em pessoas, principalmente em crianças, que demonstram que suas capacidades não são as mesmas capacidades de um ser humano “normal”.

A ciência não conseguiu compreender que o autismo é uma expressão diferente, e não é um problema. Isso significa que não se compreende o autismo somente como um estado neurológico e psicológico diferente daquele de uma pessoa normal, mas que o autismo se origina primeiro em uma situação espiritual e também anímica.  

A filosofia oriental, dos grandes mestres e sábios, compreende o autismo como uma situação que se origina no corpo emocional e depois no corpo mental.

No corpo emocional existe uma imaturidade no estado de consciência emocional. Ocorre o mesmo com o corpo mental. Essa situação não pode ser comprovada cientificamente sem que o terapeuta tenha uma base bem ampla de conhecimento espiritual sobre como se constitui o ser humano. 

Por isso, o autismo é considerado uma situação de retardo mental, e isso não é correto. Os seres autistas têm seu centro no plano emocional e, embora este não tenha sido totalmente desenvolvido durante a gestação, os autistas possuem uma alta sensibilidade ao que é positivo e sofrem por tudo o que não é positivo.

Os autistas não são todos iguais, porque depende do fator familiar, social e territorial para que o autista encontre seu possível campo de expressão. Quando isso não ocorre, o autista não é compreendido. Sua forma de expressar-se é através do silêncio ou da melancolia.

O autista sofre com as mudanças bruscas. O autista compreende a vida de uma forma oposta à percepção sensorial de um ser humano comum.

Deve-se tentar perceber a linguagem moral, e até espiritual, que têm os autistas, porque eles não são originários da Terra. Sua condição “diferente” também é consequência de haverem ingressado em um planeta como este, que possui características materiais e de densidade muito altas.

Por isso os autistas têm dificuldades de adaptação em uma sociedade ofensiva e indiferente.