MENSAGEM PARA A APARIÇÃO DE MARIA, ROSA DA PAZ, TRANSMITIDA NO CENTRO MARIANO DE FIGUEIRA, MINAS GERAIS, BRASIL, À VIDENTE IRMÃ LUCÍA DE JESÚS

A Graça e a Alegria de ser Fiel

Queridos filhos,

Quero hoje contar-lhes uma história para que, inspirados por Meu exemplo, possam dar novos passos nos tempos que se aproximam. Dessa forma venho despertar em seus corações a Graça e a alegria da Fidelidade.

Deus Me chamou a cumprir com Sua Vontade muito antes do nascimento de Jesus, antes mesmo que Eu chegasse a este mundo; assim como Ele chamou cada um de vocês.

Ainda pequena, reconheci o Chamado e a Vontade de Deus e, ao longo de Minha Vida na Terra, uma e outra vez tive que confirmar Minha Fidelidade para com o Criador. Meu Coração pertencia ao Senhor desde o princípio, mas isso não O fazia livre de dificuldades e padecimentos.

Sua Mãe Celeste teve que superar muitas provas espirituais, materiais, mentais e emocionais, como parte da humanidade. O mesmo teve que viver Meu Filho e São José Castíssimo.

A humanidade daquela época, filhos, era precária, e escasso era o amor em seus corações. Por isso Deus enviava ao mundo um impulso tão grande de Amor e Verdade através da Sagrada Família. Mas para que esse impulso se fizesse vida, Nós, como parte da consciência humana, tivemos que transcender essa condição de limitação e romper as capas do desamor e da ignorância, para cumprir com o que Nos foi pedido.

Para cada provação que o Criador Me concedia viver, Ele também deixava emergir um Dom em Meu Imaculado Coração. Cada vez que Me confirmava diante de Deus, via emergir a Fortaleza do Pai e Sua Graça, e era n'Ele que encontrava a força para prosseguir.

Assim foi quando o Espírito Santo gestou em Meu ventre o Messias. Assim foi quando chegamos a Belém e não havia lugar nas hospedagens. Assim foi quando mandaram matar o Menino, e apesar de fugir com Ele, senti em Meu Peito a dor de cada mãe que perdia o seu filho injustamente. Assim foi quando O perdemos em Jerusalém. Assim foi quando Ele foi negado na Galileia e quando escutava os insultos proferidos ao Filho de Deus, pela ignorância e cegueira humana. Meus Olhos, que viam a Verdade além de qualquer compreensão, tiveram que superar as injustiças causadas pela cegueira dos homens, e tudo vivi em silêncio.

A Graça e o Dom de Deus também emergiram em Meu Interior quando Jesus foi condenado, flagelado e subiu ao Calvário, unicamente com o Poder de Seu Amor. Eu senti cada Chaga Sua em Meu Peito e, cada “sim” que Ele dizia ao Pai, Eu repeti em Meu Interior.