Sábado, 19 de dezembro de 2015

APARIÇÃO DE SÃO JOSÉ NO CENTRO MARIANO DE AURORA, PAYSANDÚ, URUGUAI, À VIDENTE IRMÃ LUCÍA DE JESÚS​

Hoje lhes pedirei que fechem os olhos e que Me encontrem diante de vocês.

Estou sobre o céu de Aurora, com os pés descalços, uma túnica branca, um manto cor vinho. Tenho em Minhas mãos uma vara de nardo, que representa a pureza e também a consagra­ção. Seguro esta vara com a mão esquerda e, com a direita, toco Meu Castíssimo Coração, rodeado por três lírios que represen­tam a castidade. Meus cabelos pendem sobre os ombros, Meus olhos, cor de mel, estão voltados para o mundo, irradiando a humildade que Deus imprimiu neles, para que Eu pudesse ver todas as coisas sob a Sua Verdade e a Sua Justiça. Assim é como Meus olhos humildes Me concedem ver.

Atrás de Mim, mostro-lhes um caminho, um caminho ao deserto, a terras que um dia foram sagradas, mas que hoje vocês deixaram submergir na maldade, no ódio e na perdição os corações que nelas habitam.

Todo este mal era conhecido por Deus quando enviou Seu Filho a este povo. Também enviou a Mim, como homem comum, para demonstrar à humanidade que é possível viver a transformação, viver a transformação em Cristo e a união com Deus.

Eu fui homem nascido nesta Terra e, por isso, retorno a ela para resgatar Meus companheiros e amigos de outros tempos, que não quiseram escutar quando Meu Filho pronunciava Suas Palavras nos vales e nos montes, que fecharam os olhos para não vê-Lo passar, porque temiam viver a conversão e ser arre­batados por Seu Amor, que sabiam ser invencível.

Muitos dos que viraram o rosto para Cristo ainda estão neste mundo para aprender a olhar para Ele sem medo e se deixar vencer pelo poder de Seu Amor.

Não desistimos desta Terra, porque para Nós ela ainda é sagrada.

Como deixará de ser sagrada a Terra onde Deus colocou os Seus Pés, onde derramou Seu Sangue e abriu o caudal de Sua Divina Misericórdia, para que permeasse todo o universo por intermédio deste mundo?

Como deixará de ser sagrada esta Terra que, em verdade, é a escola do Amor para todas as civilizações do universo?

Como deixarão de ser sagradas as suas almas, que trazem em si uma possibilidade única de aprender a amar, de se unir a Deus e fazer esse Deus ainda maior em Sua Glória?

Como deixarão de ser sagradas as suas essências, seus cora­ções, por mais que pequem e vivam nas ilusões do mundo?

Vocês jamais podem perder a verdade do que são, porque aquilo que provém de Deus não se corrompe com o pior mal deste mundo nem de nenhum outro, porque Deus é o Todo  Poderoso, é a Pureza em si, é a Verdade, é o Amor, é a Criação. Como se corromperá Ele a si mesmo?

Se estão neste mundo é porque algo devem aprender com ele. Não desperdicem a oportunidade que Deus lhes entrega, por­que estão em um planeta muito sagrado, no qual Deus tem Seus Olhos postos todo o tempo, porque Ele aspira ardente­mente a que mais criaturas possam imitar Seu Filho e serem verdadeiros deuses vivos neste mundo, para retornar a Ele em perfeita unidade com o Seu Coração.

Quando lhes falo essas coisas, não lhes falo de um sonho, por­que o único sonho deste mundo é o que vocês viveram até ago­ra. Chegou o momento de despertar à realidade, ao verdadeiro Propósito de Deus para suas almas.

Chegou o momento de abandonar sua pequenez e lançar-se à grandiosidade da Criação. Chegou o momento de abandonar a ilusão e deixar que seus olhos se iluminem pela Fonte de Luz Divina que os Mensageiros do Senhor trazem ao mundo.

Não resistam, porque essa Luz arderá como um fogo dentro de suas células e queimará as moléculas da perdição, para que deixe de existir a escuridão em suas consciências. Apenas a Luz prevalecerá.

Não se entristeçam, alegrem-se! Este é o momento que toda a humanidade esperou por tanto tempo. Quantas consciências no universo os observam e aguardam que digam sim!

Imaginem, Meus queridos, em diferentes civilizações do cosmos, amadas criaturas que fazem parte deste Plano de Deus e que de joelhos clamam pelo seu despertar, que sen­tem a dor em seus corações cada vez que a humanidade nega a existência da Luz, que sentem um grande pesar cada vez que a civilização da Terra prefere unir-se à escuridão e afirmar a ignorância a lançar-se à Luz e descobrir o infinito amor que todos os seres guardam como potencial em suas essências.

Para alguns, estas palavras soarão belas; para outros, soarão difícil de compreender, porque lhes será difícil sair da pró­pria existência para contemplar a Criação em si, os diferentes mundos e as civilizações que os aguardam, porque não que­rem acreditar que de sua transformação depende a evolução do universo.

Mas assim é, Meus queridos, porque tão humilde é o Senhor que Ele depositou Sua grandeza em criaturas tão pequenas, Sua maior esperança em corações que O ignoram e até O negam, porque não O conhecem e não O amam.

Eu venho ao mundo como servo de Deus para dar a conhecer à humanidade a Graça que é servir a tão bom Senhor. Jamais se arrependerão de servi-Lo todos os dias. Quando conhecerem Sua Graça, Sua Bondade e Sua Infinita Misericórdia, vocês abandonarão tudo o que são e não olharão para trás quando tão somente um toque de Deus puder chegar às suas consciências. Devem permitir que essas Mãos Divinas toquem seus corações e, com Seu Amor, dissolvam suas barreiras e suas resistências.

Por um momento, vocês parecerão estar suspensos no ar, pois não saberão quem são e vão querer se afirmar no que eram; mas não tenham medo, porque isso durará pouco. Rendam-se à maravilha que é ser nada, para que, em seguida, sejam preen­chidos por Deus, na Graça da Unidade com Ele.

Estou tentando elevá-los a um estado de maior Graça, para que possam compreender a vida na Terra como ela em verda­de é e para que permanentemente não se percam nas fantasias deste mundo. Porque não Me cansarei de dizer que é possível alcançar o Propósito de Deus, mesmo com tantas imperfeições. Rendam-se!

Não esperem, Meus queridos, que suas forças terminem e que sejam vencidos pela dor, pelo sofrimento de não suportar mais viver neste mundo, por já não suportar viver consigo mesmo. Rendam-se agora, enquanto a alegria ainda pode permear seus corações, enquanto vocês ainda podem levar a esperança aos que estão perdidos e ser uma fonte de auxílio, e não corações que necessitam tanto ser auxiliados.

Sintam Minha paz, sintam a gratidão que derramo em seus corações, porque tudo o que lhes digo nesta hora não é somente por vocês; é também para levar a esta terra sagrada, que tenho hoje atrás de Mim, um pouco de cura, de esperança, esperança que nasce deste Reino, deste Reino de Aurora que se manifesta em seus corações e se irradia às almas mais perdidas.

Por que temem viver em paz? Por que temem tanto a humildade?

Sei que lhes causará dor serem vencidos por Deus, mas é a dor de uma grande vitória do Criador em seus corações.

Coloquem tudo o que lhes disse no profundo de seus cora­ções e selem Minhas palavras com o Meu Castíssimo Coração, para que elas não escapem, mas que, dentro de cada um, possam levá-los à transformação da consciência, da vida, da humanidade.

Hoje lhes falo como um pai, porque o Coração do Pai está dentro de Meu Coração.

Quando Me apresento como pai da humanidade, é porque humildemente Eu sou uno com Deus. Ele se manifesta por Meu intermédio porque é por Vontade d’Ele que venho ao mundo. Venho pronunciar Suas Palavras através de Minha boca. Nenhum movimento que realizo nesta Terra está sepa­rado da Vontade de Deus e assim o faço, queridos filhos, para  que aprendam de um coração humano igual aos seus, porque esta humanidade continuará evoluindo e necessitará de muitos pais e de muitas mães que possam guiar as consciências que pela primeira vez aprendem a amar.

Esta é Minha mensagem para o dia de hoje. Assim como vocês Me escutaram agora, deverão escutar-Me todos os dias. Quando lerem Minhas palavras, escutem Minha voz, porque sou Eu quem lhes fala dentro de seus corações.

Antes de Me despedir, deixarei plasmado um pedido, porque as mentes humanas necessitam disso: quero, neste lugar, uma casa que represente a humildade da Sagrada Família, que seja simples como Nosso lar em Nazaré, plena de paz e que seja uma Fonte de Graça para todo o mundo. Na porta desta casa, Eu os esperarei para que se confessem Comigo e entrem puros de coração. Dentro dela, encontrarão a Sagrada Família que, em humildade, os impulsionará a uma nova vida, a uma vida redimida.

Isso será assim porque a humanidade necessita de ícones, de refúgios físicos nos quais depositar sua esperança, que façam emergir sua fé para que possam prosseguir seu caminho, des­pertando a paz e a unidade com Deus, todos os dias.

Que nessa casa humilde vocês celebrem a união com Cristo por meio da Eucaristia, nos momentos em que necessitarem de um coração um pouco mais simples e humilde para encontrar a Deus.

Com estas palavras, Eu os abençoo e abençoo também esta ima­gem que colocaram em Meu altar.

Como símbolo de Minha presença entre os Reinos da Natureza, quero depositar esta imagem no jardim que com tanto amor prepararam para Mim, para que jamais se esqueçam de que, para encontrar a Nova Humanidade, para encontrar o novo homem dentro de cada um de vocês, necessitam viver  a união com os Reinos da Natureza, necessitam despertar o amor para com esses Reinos Menores e descobrir neles o que cada um veio manifestar neste mundo, para que assim, Meus amados, vocês possam expressar a Perfeição de Deus como criação planetária.

Eu os abençoo, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Agradeço-lhes.  

São José Castíssimo